Brightburn

PLOT!
Certa noite o casal Tori e Kyle Breyer conversa na cama sobre o quanto queriam ter um filho, quando de repente um fortíssimo estrondo rompe os céus. Tori olha pela janela notando a mata ao longe estar iluminada em vermelho, algo havia caído. Eles correm em direção ao local onde encontram um bebê em meio uma estranha cápsula. Não havia dúvidas, aquele era um presente enviado. O filho que tanto queriam. O anos passam e Brandom cresce, agora com 12 anos começa a mudar seu comportamento. A adolescência chega para todos. No entanto este rapaz leva essa natureza fisiológica um pouco mais além, trazendo de seu interior um sentimento maligno. Algo capaz de trazer as trevas para a pacífica Brightburn!

Brandom vs Superman

SUPERMAN AO AVESSO? COMO ASSIM?!
Brightburn: Filho das Trevas é um terror bem fora do convencional, e fiquei bastante curioso quando ouvi falar pela primeira vez da sua proposta. Não é segredo para ninguém que a obra se inspira no herói Superman original da DC Comics. Mas e aí? Isso seria algo bom? Transformar o bondoso Clark Kent num vilão sanguinário seria uma boa ideia? Precisava entender direito o que viria ser isso. E tenho que confessar, gostei bastante do que vi. Por mais que tenhamos como referência o clássico homem de aço, e esperemos a mesma coisa de forma invertida, ainda assim somos surpreendidos a todo instante.

038_02

Não recordo de nenhum filme do gênero que tenha recorrido à um inimigo tão imponente assim. Se normalmente já nos borramos com vultos ou seres demoníacos com os olhos totalmente pretos, imagina com uma criança de comportamento estranho e capaz de feitos sem limites. Ficamos completamente tensos por estarmos literalmente expostos às vontades de um garoto com sentimentos anárquicos. Não sabemos qual ameaça virá em seguida. É exatamente esse tipo de sensação que o filme instiga sentir, e tem total êxito. Temos jump scare na medida certa e violência visual alcançando o patamar do gore, e tudo se encaixando perfeitamente à narrativa da obra. São cenas bizarras que ilustram o quanto aquele moleque se tornou mentalmente doente e diabólico. Assista ao trailer!

038_03

EXPLICAÇÕES COM SPOILERS!
Inicialmente ele é apenas um garoto como outro qualquer, talvez um pouco mais introspectivo e estudioso, mas ainda assim uma criança normal. Porém as coisas começam a mudar quando ele passa a ser atormentado por uma voz sinistra vinda de seu interior. Aos poucos ele vai descobrindo uma força sobre-humana, desenvolve a capacidade expelir lasers dos olhos, de se mover em alta velocidade, e até voar. Mas antes de tentar entender o vilão, é primeiro preciso entender a pessoa por trás dele.

Brightburn

Podemos compreender Brandom de duas maneiras. Ele pode ser sim a origem do mal, ou pode ser que esse mal tenha embarcado junto dele na cápsula. No meu entender o menino era uma folha em branco, que não é bom e nem mal. Nota-se que seu comportamento é livre de emoções, ele não era empático aos outros, visto que nunca conheceu o que era sofrimento. Afinal, ele nunca havia se machucado ou fica doente nesses anos todos. Essa falta de afinidade com as pessoas ao seu redor faz florescer um sentimento de indiferença. E no dia em que outras crianças caçoavam dele por mostrar uma inteligência prolixa, fora protegido por uma amiga da qual ouviu “os inteligentes são os que dominarão o mundo”. Essa frase ecoou no seu consciente fazendo ficar convencido de que era superior aos demais. Todos deveriam então se curvar à ele. E assim começa uma escalada de violência e terror. Quem não compreendesse sua posição como inferior era subjugado cruelmente.

Cast Brightburn

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Elizabeth Banks, David Denman, Matt Jones, Meredith Hagner, Jennifer Holland, Jackson A. Dunn, Steve Agee, Gregory Alan Williams, Becky Wahlstrom, Christian Finlayson, Elizabeth Becka, Stephen Blackehart, Terence Rosemore, Emmie Hunter, Mike Dunston, Annie Humphrey, Gwen Parrish, Leah Goodkind e Shaun McMillan compõem o elenco de Brightburn: O Filho das Trevas. A direção fica a cargo de David Yarovesky, que é conhecido também pelos trabalhos em Guardiões da Galáxia e A Colmeia, ambos de 2014. Todas as atuações são bastante competentes, não deixando margem alguma de desconforto em qualquer momento. No entanto o pequeno Jackson A. Dunn conseguiu um destaque um pouco maior com seu olhar penetrante e de expressão apática. Chegando a causar incômodo pela maneira fria com a qual ele encara seus desafetos.  A direção de Yarovesky consegue te inserir com solidez nesse ambiente sombrio tirando proveito da boa fotografia e de ângulos de câmera que valorizam cada cena.

038_06

CONCLUSÃO
Fugindo do terror convencional Brightburn: O Filho das Trevas começa de forma lenta, enquanto pincela aos poucos a estrutura do clássico filme Superman. Embora sua premissa seja essa, ainda assim é uma obra de muita personalidade e qualidade. Faz lembrar as primeiras produções da carreira de Shyamalan, com a intensidade de mesclar o fantástico à uma atmosfera sombria e pesada. Temos aqui um verdadeiro filme de suspense e terror, capaz de gerar altas cargas de tensão e ansiedade, e que vai agradar quem busca algo de qualidade nesse gênero. Mas fique ligado, o filme possui cenas pós créditos!

Barra Divisória

assinatura_dan

Nenhum pensamento

  1. Sem dúvida um filme inesperado.
    Na primeira impressão, uma continuidade seria bem-vinda.
    Mas existem obras que são mais marcantes, por deixar nosso imaginário seguir a premissa deixada pela abordagem do filme; Melhor assim, não se mexe em time que ‘tá’ ganhando. Rs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s