anime bleach

Se você vive no planeta Terra então conhece Cavaleiros dos Zodíacos, Dragon Ball, Naruto, talvez até Yu Yu Hakusho e One Piece, mas Bleach, você conhece? Não estou dizendo que seja algo undeground ao ponto de ser preciso uma pá para desenterrá-lo de algum lugar, mas é o tipo de anime que muita gente ouviu falar mas que nunca assistiu realmente. Bleach reina entre um dos animes mais visto de todos os tempos, tendo o Japão como sua principal fanbase. A série estreou no dia 5 de outubro de 2004 no canal TV Tokyo, e permaneceu no ar até o dia 27 de março de 2012. Ficava sempre no topo da audiência, até que os malditos fillers começaram a aparecer em peso, falarei sobre essa desgraça mais detalhadamente adiante. No Brasil chegou oficialmente em 2008 através do canal Animax de TV por assinatura, qual só transmitiu até a terceira temporada, e dali em diante o anime ficou que nem peteca em tudo quanto é canto, sem ser exibido até o fim em lugar nenhum. Hoje o anime pode ser oficialmente encontrado na Netflix e na PlayTV, onde também não está disponível até o fim. Mas o brasileiro é criativo e sempre arruma um jeitinho de conseguir assistir o restante, se é que me entende.

mangá

O MANGÁ QUE DEU ORIGEM AO ANIME
Dirigida por Noriyuki Abe e produzida pela TV Tokyo, Dentsu, e Studio Pierrot, o anime Bleach é fruto do mangá escrito e ilustrado por Tite Kubo. Seu sucesso lhe rendeu 87 milhões de cópias vendidas, incluindo o prêmio Shogakukan na categoria Shounen. A maneira inovadora que Kubo trazia ação nos seus traços era de causar inveja aos outros mangakás, e serviu de inspiração para muitos outros autores. O mangá foi publicado de 20 de agosto de 2001 à 18 de agosto de 2016, contando com um total de 74 volumes com 686 capítulos.

mangá do bleach

Um fato curioso é que Tite Kubo sofreu um pouco para ver seu trabalho publicado pela primeira vez. Enviou amostras para a Weekly Shonen Jump várias vezes sendo sempre recusado, o motivo não era a qualidade, até gostaram do trabalho, porém o mangá entrava em conflito com Yu Yu Hakusho, que já era vinha sendo publicado pela editora. Seu trabalho caiu nas mãos de Akira Toriyama, autor de Dragon Ball, qual elogiou muito o trabalho feito em Bleach e o incentivou a continuar criando e se esforçando, que uma hora seu trabalho seria publicado. O que o apoio dos colegas de trabalho não faz não é mesmo? O mundo precisa de menos competição e um pouco mais disso.

021_02

FILLERS, A PRAGA DE BLEACH
Consegue imaginar o quão complicado discorrer sobre um anime tão grandioso como Bleach? Afinal, são 366 episódios no total, e infelizmente com um gigantesco número de fillers também. Esse nome infeliz, na minha tradução livre, significa encheção de linguiça. Geralmente os animes seguem o enredo se baseando nas histórias publicadas no mangás, e inevitavelmente ocorrem atrasos vez ou outra. Quando isso acontece o estúdio de TV precisa manter a agenda de programação, e pra suprir isso o que eles fazem? Criam histórias não-canônicas. Acontece que Bleach provavelmente é o anime que mais sofre dessa doença, possuindo um total de 166 malditos fillers, o que faz com que a série tenha 45% de lixo atômico mais ou menos. Ao invés de deixarem um hiato na série eles preferiram profaná-la desta maneira, e isso enfurecia a horda de fãs gerando uma queda absurda de audiência. Dizem que Tite Kubo se estressava horrores por conta da má qualidade dessas encheções de linguiça, porém era refém do contrato com a produtora.

bleach

021_04SINOPSE DO QUE DIABOS É BLEACH
COM LEVES SPOILERS NÃO COMPROMETEDORES!

O anime gira em torno do jovem estudante de 15 anos Ichigo Kurosaki, e ele possui um dom, consegue ver, falar e tocar em espíritos de pessoas desencarnadas. Num noite como qualquer outra uma coisa anormal acontece, uma menina baixinha vestindo um longo kimono negro e portando uma katana entra pela janela de seu quarto como se aquilo fosse super normal. Ichigo não se assusta, mas interroga o porque diabos dela ter entrado na casa dele pela janela, ainda mais com seu quarto ficando no segundo andar. Na cabeça dele aquele era só mais um dos muitos espíritos que vinham azucrinando ainda mais que o normal. Sendo ignorado após perguntar várias vezes, ele dá um belo chute jogando a garota para o outro lado do quarto, e só então ela percebe que pode ser vista por ele. Curiosa ela se pergunta como ele consegue fazer isso, e após deduzir sozinha os dois se apresentam, ela era Rukia Kuchiki, uma shinigami. Ichigo fica ainda mais confuso sobre o que raios seria isso, e ela explica, era uma ceifadora de almas. Vulgo Zé Maria com upgrades. Um Shinigami é responsável por encaminhar as almas dos mortos para a Soul Society, algo similar ao conceito de Paraíso para os cristãos, bem como eliminar hollows, espírito de pessoas amarguradas que se tornaram demônios sugadores de almas. Papo vai e papo vem, quando de repente uma grande força é detectada por Ichigo, e mais uma vez ela se surpreende, afinal, ele conseguiu perceber essa anomalia ainda antes dela. E ele era só um humano. A treta aperta conforme um enorme hollow se aproxima da casa, então Rukia lança um feitiço imobilizando Ichigo para que não interferisse. Não tarda muito e o andar de baixo é atacado, quando sua irmã mais nova sobe se rastejando pelas escadas e pedindo socorro pela outra irmã que havia sido levada. Ichigo com um grande esforço consegue se libertar quebrando o poderoso encantamento, e isso também espanta Rukia. Então sem pensar duas vezes ele corre para o andar de baixo se deparando com um enorme buraco na parede da sala. Seguindo os rugidos daquela abominação ele corre para rua, quando topa com uma criatura gigantesca tendo sua irmã nos braços. Rapidamente Rukia surge e avançando sobre o hollow, ferindo-o, mas também se machucando profundamente para conseguir libertar a menina. Ela pede para que Ichigo se aproxime e explica que ele é o único que pode impedir que todos morressem ali, e que para isso ele precisaria se transformar momentaneamente num shinigami. Sem relutar aceita a incumbência, então é transformado num shinigami. Vestindo o mesmo tipo de shihakusho, o kimono dos shinigamis, porém portando uma enorme Zenpakutou, como são chamadas as armas individuais e exclusivas de cada ceifador. O enorme hollow parte em ataque na direção dos dois, e Ichigo agindo instintivamente se move com extrema velocidade e destruindo o monstro facilmente. Rukia observa aquilo tudo sem acreditar. Como podia um simples humano deter tanto poder ao ponto de criar uma Zenpakutou tão grande? E o seu próprio poder? Ele tinha sugado tudo quando ela o passou pra ele, ao ponto que ela não conseguia ter forças para desfazer a transferência. Então é assim que a parceria entre os dois começa e Ichigo vai se entranhando cada vez mais onde não deve. Essa é apenas a premissa desse enorme anime, que atravessa várias aventuras de uma forma fantástica e única.

shinigami

BLEACH NÃO É UM SHOUNEN COMO OS OUTROS
O que faz um anime ser bom? Existe uma série de fatores, óbvio. Talvez a pergunta não tenha sido formulada de maneira adequada, então eu pergunto diferente, o que faz uma história ser boa? Bem, acho que concordamos que ela precise de um plano de fundo, um problema, e pelo menos um personagem em construção buscando uma solução. O problema de Bleach é que ele não tem tudo isso em sua completude, esse é o seu maior pecado, e eu explico os porquês.

021_08AFOGADO EM PECADOS
Bleach não explora de maneira coerente seus personagens, Ichigo ao menos tem um grande objetivo por alcançar. Diferente de Naruto, que desde o início está decidido em se tornar Hokage, de Luffy em One Piece, que sonha ser O Rei dos Piratas, ou mesmo Simon que tem como objetivo honrar a memória de Kamina até o fim, como acontece em Tengen Toppa Gurren Lagann. Já Ichigo não, ele não tem ambição de nada, simplesmente problemas inesperados surgem e ele parte para solucionar. Não é nada dele, não é uma busca própria, não é um personagem em conflito que precisa evoluir. Sua personalidade original se mantém do começo ao fim da série, ele é simplesmente um garoto com vivacidade e que gosta de lutar. Algo mais próximo de Goku ou Yusuke, que se comportam em função de seus animes de forma bem similar. Aí você pensa que isso é ótimo, afinal, Dragon Ball e Yu Yu Hakusho são dois puta animes! E mais uma vez a gente se engana. Entendemos que Ichigo não tem um objetivo e é um personagem que não evolui, ou seja, não sofre construção de personalidade, certo? Goku e Yusuke também, passam muito pouco por isso, mas e os que lhe cercam? O que existe ao redor desses três personagens comparados? Em Dragon Ball e Yu Yu Hakusho existem vários personagens, e diferente de Bleach, uma quantidade significante deles tem suas personalidades e passados explorados, adicionando um plano de fundo que permite que esses animes se construam não apenas em lutas e nos graus de poder alcançados, mas sim abrindo sempre possibilidade de novas narrativas. Em Bleach pouquíssimos personagens são construídos, e quando ocorre, não são os heróis principais do anime. Apenas alguns vilões são desenvolvidos e sofrem algumas mutações de personalidade, geralmente é a redenção e superação da arrogância. Mas nada muito mais profundo que isso. Tudo isso é uma pena, visto que Bleach possui um plano de fundo de potencial riquíssimo que não é explorado, e que serviria perfeitamente como alavanca para solucionar todos os outros problemas se assim o autor quisesse.

IchigoREDENÇÃO INERENTE
Então como Bleach consegue tanto engajamento de sua audiência? Bem, a resposta pra isso é simples. Ele é um dos melhores no que se propõe ser! Só não chega a ser o melhor porque temos o suprassumo dos animes shounens, Naruto. Estou falando sobre porradaria! Ichigo nunca escondeu que suas principais características eram a de ser nervoso e explosivo, e isso é colocado desde o primeiro episódio do anime. Ele não leva desaforo pra casa, e cada problema que surge, por pior e mais absurdo que seja, o que ele faz é meter a cara sem se preocupar com a consequências. É isso que faz de Bleach, mesmo com suas deficiências ser uma experiência incrível. Você sempre fica na gana de ver como ele vai se virar pra superar aquele enorme problema em que se meteu. O anime não tem um objetivo maior e não precisa, existem pessoas que curtem exatamente as subidas gradativas de poder e não se importam se todo o restante é simples. As vezes precisamos apreciar uma obra pelo que ela realmente é, e não o que gostaríamos que fosse. Se você é o tipo de pessoa que não sabe aceitar e não aprende que a vida não é feita sob medida pra gente, vai perder uma série de experiências maravilhosas. Quem sabe Tite Kubo não idealizou que toda a coisa funcionasse realmente assim? Talvez o plot de Bleach fosse apenas um pretexto para ele exibir o que faz de melhor, cenas épicas de lutas de um cara que não tem medo algum do seu fim. Bleach divide opiniões entre os apreciadores de animes, sendo que quem não gosta sempre vai ter sua razão para cobrar suas falhas, mas nunca poderá dizer que ele não é um excelente shounen de pancadaria.

021_05

CONCLUSÃO FELIZ OU TRISTE?
Temos em Bleach um anime que exige muita compreensão de quem assiste, e se essa é uma pessoa que não consegue se desligar das comparações com outros animes com propostas parecidas, definitivamente ela vai se entediar no decorrer do percurso. Principalmente no caso dela sobreviver até o momento que der de cara com os famigerados fillers. Mas caso seja uma pessoa que queira diversão descompromissada, com empolgantes ascensões de poder, piadas pontuais, um fan service equilibrado, e muita, mas muita pancadaria com altas cargas emocionais, nesse caso sim Bleach é um pratão cheio.

Barra Divisória

assinatura_dan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s